Sete Lagoas registra mais um caso positivo de coronavírus e 36 casos negativos

Os dados sobre o novo coronavírus em Sete Lagoas, divulgados pela Vigilância Epidemiológica Municipal, na manhã desta quinta-feira, 3, registram até o momento 356 notificações. Os que são considerados suspeitos e estão em investigação somam 317. A cidade conta agora com três casos positivos e 36 negativos.

A Secretaria Municipal de Saúde anunciou nesta semana o início do funcionamento de cinco unidades de saúde da atenção primária em horário estendido. Os ESFs JK, Santa Luzia 2, CDI 1, São Geraldo e Jardim Europa agora funcionam até mais tarde. Das 08h às 17h, o atendimento será direcionado às pessoas que moram nos bairros referenciados para essas unidades. Das 17h até as 22h, o atendimento será para toda a população, em demanda espontânea, ou seja, sem a necessidade de agendamento de horário.

Estas unidades passam a ser referências, durante o horário adicional, para atendimento de pessoas com sintomas de dengue e de gripe. “Se você está com corisa, tosse e febre, pode procurar qualquer uma dessas unidades. O atendimento na UPA continua sendo referência para quem apresenta sintomas mais severos, como falta de ar e dificuldade para respirar”, explica o secretário de Saúde, Dr. Flávio Pimenta.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Sete Lagoas tem mais um caso confirmado de coronavírus e 36 casos negativos #setelagoas #teclemidia #noticias

Uma publicação compartilhada por Tecle Mídia (@teclemidia) em

 
Conscientização
Mesmo com a publicação de um novo decreto na última quarta-feira, que limita o funcionamento do comércio, parte da população de Sete Lagoas ainda não se conscientizou sobre a necessidade de ficar em casa durante esse período de quarentena. As polícias civil e militar, o corpo de bombeiros e a guarda municipal seguem alertando a população por meio de avisos sonoros nas viaturas, mas ainda assim, idosos, principalmente, continuam circulando e se aglomerando em praças da cidade, ignorando as orientações.

“Mesmo que seja esperado pelas autoridades de saúde que a maioria da população irá se contaminar com o coronavírus, e não desenvolver sintomas, ou desenvolver sintomas leves, o isolamento social é o que vai proteger as pessoas mais vulneráveis de apresentarem complicações. Porque mesmo que você tenha uma boa saúde e não esteja no grupo de risco, quando você se contamina, transmite o coronavírus para quem está perto de você. Por isso, fique em casa”, reforça o secretário.

O secretário orienta ainda que, em caso de extrema necessidade, o cidadão precise sair de casa, que tome as precauções recomendadas pelas autoridades de saúde: use máscara (pode ser uma improvisada em casa mesmo. Na internet há vários modelos para produzir, caso não encontre para comprar), use luvas ou higienize suas mãos com água e sabão ou álcool em gel, e mantenha o afastamento, ou seja: não abrace, não toque e não converse de perto com ninguém. Mantenha-se a pelo menos um metro de distância das outras pessoas nas lojas, nas filas e no transporte público. “Fique em casa. Por você, e por todos nós”, finaliza.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA